Arquivo mensal: agosto 2013

Bruxismo na infância: um sinal de alerta

Imagem

O bruxismo, hábito bastante comum em crianças, possui importantes repercussões nas estruturas faciais e bucais. Seu tratamento torna-se complexo devido à somatória de fatores que envolvem a origem deste hábito.

O que o bruxismo pode causar?

Podem ocorrer desgastes dentários, chamados “facetas”.

Danos para o suporte dos dentes, como: perda óssea e mobilidade dental

Alterações musculares : mordida de bochecha, hipertrofia (aumento) e/ou dor nos músculos da mastigação

Problemas na ATM (Articulação Têmporo-Mandibular, próxima ao ouvido)

Dores de cabeça

Dores ao abrir muito a boca.

O importante é que o diagnóstico do bruxismo seja precoce para evitar maiores prejuízos aos dentes e às estruturas que os cercam.

E como é o tratamento ?

O tratamento só é indicado quando a frequência, intensidade e duração deste hábito afetar o desenvolvimento normal da dentição da criança, então, nos casos do bruxismo patológico.

Não existe uma fórmulas mágicas para eliminar rapidamente o hábito. Nem um único tratamento para todos os paciente com bruxismo. Como é um disturbio multifatorial, cada paciente deve ser analisado e tratado de acordo com as peculiaridades dos fatores envolvidos no caso dele.

Se a causa for uma interferência dental, um ajuste oclusal ou o uso de aparelho ortodôntico/ortopédico será necessário a fim de proporcionar maior conforto e equilíbrio para essa mordida.

Se algum fator sistêmico estiver presente, o paciente deve ser encaminhado para o otorrinolaringologista e pediatra.

Da mesma forma que na predominância de fatores emocionais, o paciente deve ser encaminhado para abordagem e acompanhamento psicológico.

Como a etiologia do bruxismo é, na maioria das vezes, um conjunto de fatores, o tratamento requer tempo. Desta forma, muitas vezes lançamos mão de um protetor bucal (placa de mordida) para que sejam amenizadas as consequências do bruxismo enquanto a criança não perdeu totalmente o hábito.

Essa placa visa a reduzir a atividade parafuncional, desprogramar e induzir ao relaxamento muscular, obter uma proteção dos dentes contra a atrição e desgaste. proporcionando maior conforto ao paciente. E para que não ocorra interferência no crescimento das arcadas, o material de escolha para a confecção da placa infantis  e o aspecto desta, é diferente das placas usadas no bruxismo do adulto,

Lembrando: Uma boa  conversa com os pais e exclarecimento das dúvidas é essencial. Precisa ficar claro que o tratamento é multidisciplinar ( pode precisar  de : pediatras, psicólogos, otorrinolaringologistas , fonoaudiólogas e odontopediatra) e que não basta só usar a placa. Deve-se atuar nas causas diretamente e não somente previnir as consequências – que é a função da placa num primeiro momento.

Imagem

Dicas para os pais!

O que podem ajudar a previnir os fatores  que predispõem ao bruxismo?

–       Oferecer alimentos fibrosos e em pedaços para as crianças desde pequenos, para que possam estimular o desenvolvimento de uma mastigação vigorosa e eficiente.

–       Realizar acompanhamentos periódicos com o odontopediatra.

–       Ter cuidado com hábitos de sucção prolongados. Eles alteram a mordida da criança podendo criar interferências dentais e alterações musculares e ósseas.

–       Fique atento ao comportamento do seu filho, crianças podem ter stress sim. E podem precisar da ajuda de um psicologo. Estes profissionais fazem trabalhos maravilhosos com as crianças e com os pais. Então, se indicado, se permitam conhecer.

–       Procurar proporcionar um ambiente tranquilo que anteceda o sono. Evite deixar luzes acesas, assistir televisão ou usar o computador  e videogame antes de ir para a cama

–       Atenção na hora de programar a rotina de atividades de seu filho. Lembre que crianças precisam de tempo para brincar.

 Imagem

Anúncios

Bruxismo Infantil

bruxismo 2

Meu filho range os dentes, isso é normal?

Um hábito que atualmente, tem sido cada vez mais frequente entre as crianças, e que gera preocupação e muitas dúvidas entre os pais: o bruxismo.

O nome é estranho e não tem nada a ver com as bruxas!

A origem do termo é derivada da palavra grega brychein, cujo significado é triturar ou ranger os dentes, e da palavra mania, que significa compulsão, gerando a expressão la bruxomanie (bruxomania).

Afinal o que é o bruxismo?

O bruxismo é o ato de apertar ou ranger os dentes. Pode acontecer de dia ou durante o sono, e ser de forma consciente ou inconsciente. Pode se manifestar em qualquer idade e apresentar carater fisiológio e/ou patológico.

E porque a criança tem bruxismo?

Não é porque ela está com vermes! Como pensavam os antigos, isso é uma lenda.

Existem fatores que predispõem ao bruxismo, tais como:

– fatores dentários: quando existem interferências dentais que impedem que a mordida tenha um bom encaixe;

– fatores de ordem sistêmica: crianças alérgicas, respiração bucal, deficiências nutricionais, disturbios neurológicos (p. ex. autismo);

– fatores hereditários;

– hábitos alimentares inadequados : crianças que não mastigam alimentos consistentes e não usam a sua função mastigatória, podem procurar suprir esta necessidade através do ranger dos dentes.

– fatores emocionais : stress, agenda lotada de atividades, a chegada de um irmão, divórcio na família, escola nova, hiperatividade , entre outros;

No caso dos bebês, alguns estudos classificam o hábito como fisiológico, pois atricionar os dentinhos recém erupcionados, tem o intuito de promover um melhor encaixe oclusal e ajustar possíveis interferências. Mas os pais devem se manter atentos, pois neste caso o hábito deve ser transitório e normalmente é diurno.

Outro momento da infância que o bruxismo fisiológico pode estar presente, é na fase de início da troca dos dentes. Por uma necessidade natural do organismo de acomodá-los, pois esta atividade muscular, ativa o crescimento e desenvolvimento das bases ósseas.

O ideal, é que tão logo os pais percebam este hábito nos seus filhos, marquem uma consulta com o odontopediatra. Para que o profissional possa realizar uma avaliação e diagnosticar qual é o tipo de bruxismo presente na criança. E orientar aos pais se eles devem , ou não, se preocupar. Uma vez que, se tratando de um bruxismo patológico, ascende um sinal de alerta para os pais.

Atenção aos  sinais e sintomas, e ao que se pode fazer para prevenir os fatores que predispõem ao bruxismo.