Arquivo mensal: outubro 2015

Reconstruindo o conceito de cárie

cabeça

Mudança de conceitos e paradigmas são sempre difíceis! Mas a ciência está aí para nos ajudar com suas novas descobertas não é mesmo?

Claro, que ter uma visão crítica da metodologia e das conclusões dos estudos científicos é importantíssimo. Então o negócio é ler, estudar, contextualizar a informação, aprender, afim de basear a conduta clinica em evidências e na evolução delas.

Sem dúvida os últimos aprendizados com o professor Jaime Cury e com a Professora Branca Heloisa me disseram bem alto: Open your mind!!

open mind 2

E esta mudança é difícil até mesmo no dia- a- dia do consultório…

Está aí o polêmico caso do flúor que não me deixa mentir! Fazer com que os papais e as mamães entendam que os profissionais agora preconizam assim e não assado, não é tão fácil!

Então nada melhor que usar as palavras destes grandes mestres e resultados de diversos estudos do assunto para promover a informação de forma simples para que as famílias entendam.

Novos conceitos de cárie

Em uma pesquisa sobre transmissão de cárie, cerca de 20% das pessoas questionadas, responderam que sim, cárie pode ser transmitida beijando ou provando a comidinha da criança. Então é importantíssimo esclarecer: cárie não pega!

Vamos deixar de lado a idéia de que carie é uma doença infecciosa e transmissível, e entender que ela é uma disbiose desencadeada pelo açúcar. Porque em condições normais, a nossa relação com os microorganismos envolvidos no processo da carie é de simbiose. O responsável pela alteração desta condição é o açúcar

.Os microrganismos envolvidos na produção do ácido que leva à desmineralização dos dentes, são habitantes comuns da boca de todas as pessoas. Eles vivem entre si em equilíbrio. Entretanto, diante de um consumo frequente de açúcares (especialmente sacarose), ocorre um desequilíbrio na composição dessa comunidade microbiana com seleção de microrganismos que têm maior capacidade de produzir ácido e sobreviver em meio ácido.

Durante décadas, a espécies acidogênicas, Streptococcus mutans, foram consideradas o principal agente causador da cárie dentária e a maioria dos diagnósticos e estratégias terapêuticos foram direcionados para esse microrganismo. No entanto, recentes estudos baseados no DNA e RNA de lesões cariosas descobriram um ecossistema extraordinariamente diverso, onde o S. mutans , refere-se apenas a uma pequena fração da comunidade bacteriana. Isso apóia o conceito de que colônias formados por vários microorganismos agem coletivamente, provavelmente sinergicamente, para iniciar e expandir a cavidade cariosa. Assim, não se espera que, terapias antimicrobianas, sejam eficazes no tratamento de cárie.

O grande vilão no processo de desenvolvimento de cárie não é o Mutans específicamene; é o açúcar!

Alguns pais me perguntam: meu filho tem os dentes fracos por isso teve cárie? Posso dar cálcio para foratalecer esses dentes? Qual remédio poderia dar para ele não ter mais cáries?

Então vamos lá! Anotem aí “porção mágica”, “remédio”, ou “vacina” contra a cárie!!

Conclusão atual para o combate a cárie:

(1) Escovar os Dentes

(2) Disciplinar o Consumo de Açúcar e

(3) Usar Fluoretos Racionalmente

Segundo os estudiosos é uma simples questão de lógica!

Porque?

  • O acúmulo de bactérias sobre os dentes na forma de biofilme é fator NECESSÁRIO para o desenvolvimento de lesões de cárie, porém NÃO SUFICIENTE:
  • A exposição frequente a açúcares da dieta é o FATOR DETERMINANTE NEGATIVO para o desenvolvimento da doença;
  • As pessoas não são perfeitas para escovarem os dentes e em acréscimo usam produtos açucarados, sendo o fluoreto o FATOR DETERMINANTE POSITIVO para tentar contra-balançar esse desequilíbrio.

Assim, o equilíbrio entre saúde dental e a manifestação da doença cárie (uma doença biofilme-açúcar dependente) DEPENDE não só dos dentes serem escovados diariamente com dentifrício fluoretado, mas principalmente de que a exposição à açúcares da dieta seja restrita ao minimo possível.

Quer saber mais?

Para as mamães e papais que gostariam de saber mais sobre o assunto:

Acompanhe no Facebook também a página do Crescer Sorrindo UERJ e da Aboprev

Afinal, novos conceitos geram novas ações!

Refêrencias:

  1. “Diet and Dental Caries: The Pivotal Role of Free Sugars Reemphasized”, escrito por Sheiham e James e publicado no Journal of Dental Research online em Agosto de 2015.
  2. Solving the etiology of dental caries.Simón-Soro A1, Mira A2. Trends Microbiol. 2015 Feb;23(2):76-82. doi: 10.1016/j.tim.2014.10.010. Epub 2014 Nov 27.
  3. https://www.facebook.com/Aboprev-250256718486428/
  4. https://www.facebook.com/crescersorrindo?fref=ts
Anúncios