Todos os posts de valquiriamoura

Reconstruindo o conceito de cárie

cabeça

Mudança de conceitos e paradigmas são sempre difíceis! Mas a ciência está aí para nos ajudar com suas novas descobertas não é mesmo?

Claro, que ter uma visão crítica da metodologia e das conclusões dos estudos científicos é importantíssimo. Então o negócio é ler, estudar, contextualizar a informação, aprender, afim de basear a conduta clinica em evidências e na evolução delas.

Sem dúvida os últimos aprendizados com o professor Jaime Cury e com a Professora Branca Heloisa me disseram bem alto: Open your mind!!

open mind 2

E esta mudança é difícil até mesmo no dia- a- dia do consultório…

Está aí o polêmico caso do flúor que não me deixa mentir! Fazer com que os papais e as mamães entendam que os profissionais agora preconizam assim e não assado, não é tão fácil!

Então nada melhor que usar as palavras destes grandes mestres e resultados de diversos estudos do assunto para promover a informação de forma simples para que as famílias entendam.

Novos conceitos de cárie

Em uma pesquisa sobre transmissão de cárie, cerca de 20% das pessoas questionadas, responderam que sim, cárie pode ser transmitida beijando ou provando a comidinha da criança. Então é importantíssimo esclarecer: cárie não pega!

Vamos deixar de lado a idéia de que carie é uma doença infecciosa e transmissível, e entender que ela é uma disbiose desencadeada pelo açúcar. Porque em condições normais, a nossa relação com os microorganismos envolvidos no processo da carie é de simbiose. O responsável pela alteração desta condição é o açúcar

.Os microrganismos envolvidos na produção do ácido que leva à desmineralização dos dentes, são habitantes comuns da boca de todas as pessoas. Eles vivem entre si em equilíbrio. Entretanto, diante de um consumo frequente de açúcares (especialmente sacarose), ocorre um desequilíbrio na composição dessa comunidade microbiana com seleção de microrganismos que têm maior capacidade de produzir ácido e sobreviver em meio ácido.

Durante décadas, a espécies acidogênicas, Streptococcus mutans, foram consideradas o principal agente causador da cárie dentária e a maioria dos diagnósticos e estratégias terapêuticos foram direcionados para esse microrganismo. No entanto, recentes estudos baseados no DNA e RNA de lesões cariosas descobriram um ecossistema extraordinariamente diverso, onde o S. mutans , refere-se apenas a uma pequena fração da comunidade bacteriana. Isso apóia o conceito de que colônias formados por vários microorganismos agem coletivamente, provavelmente sinergicamente, para iniciar e expandir a cavidade cariosa. Assim, não se espera que, terapias antimicrobianas, sejam eficazes no tratamento de cárie.

O grande vilão no processo de desenvolvimento de cárie não é o Mutans específicamene; é o açúcar!

Alguns pais me perguntam: meu filho tem os dentes fracos por isso teve cárie? Posso dar cálcio para foratalecer esses dentes? Qual remédio poderia dar para ele não ter mais cáries?

Então vamos lá! Anotem aí “porção mágica”, “remédio”, ou “vacina” contra a cárie!!

Conclusão atual para o combate a cárie:

(1) Escovar os Dentes

(2) Disciplinar o Consumo de Açúcar e

(3) Usar Fluoretos Racionalmente

Segundo os estudiosos é uma simples questão de lógica!

Porque?

  • O acúmulo de bactérias sobre os dentes na forma de biofilme é fator NECESSÁRIO para o desenvolvimento de lesões de cárie, porém NÃO SUFICIENTE:
  • A exposição frequente a açúcares da dieta é o FATOR DETERMINANTE NEGATIVO para o desenvolvimento da doença;
  • As pessoas não são perfeitas para escovarem os dentes e em acréscimo usam produtos açucarados, sendo o fluoreto o FATOR DETERMINANTE POSITIVO para tentar contra-balançar esse desequilíbrio.

Assim, o equilíbrio entre saúde dental e a manifestação da doença cárie (uma doença biofilme-açúcar dependente) DEPENDE não só dos dentes serem escovados diariamente com dentifrício fluoretado, mas principalmente de que a exposição à açúcares da dieta seja restrita ao minimo possível.

Quer saber mais?

Para as mamães e papais que gostariam de saber mais sobre o assunto:

Acompanhe no Facebook também a página do Crescer Sorrindo UERJ e da Aboprev

Afinal, novos conceitos geram novas ações!

Refêrencias:

  1. “Diet and Dental Caries: The Pivotal Role of Free Sugars Reemphasized”, escrito por Sheiham e James e publicado no Journal of Dental Research online em Agosto de 2015.
  2. Solving the etiology of dental caries.Simón-Soro A1, Mira A2. Trends Microbiol. 2015 Feb;23(2):76-82. doi: 10.1016/j.tim.2014.10.010. Epub 2014 Nov 27.
  3. https://www.facebook.com/Aboprev-250256718486428/
  4. https://www.facebook.com/crescersorrindo?fref=ts
Anúncios

Turminha da Tia Val

imageApresento a vocês:

💗Rosinha,💙Paco e 💛Leleco.

Essa é a turminha aqui da Tia Val! Vou apresentar a história de vida de cada um a vocês. São 3 monstrinhos amigos de infância !! Se conhecem desde que nasceram, e aprontam por aqui viu!! 😂😂😂 mas a gente se diverte muito!

image

Meu nome é a Rosinha, sou a menina da turma. Me encantei com o mundo quando coloquei os óculos pela primeira vez!! Foi emocionante ver tudo colorido e desembaçado!

Agora o que está me deixando animada mesmo é minha janelinha… Adoro exibi-la por aí! Não fiquei um charme sem meu dente da frente?

A fada do dente me trouxe um livro de presente. E como o que eu mais gosto de fazer é ler, já estou contando os dias para os outros dentes caírem, porque aí a fada vai trazer a próxima história.

Meus livros são como um baú de idéias para as brincadeiras com os meus amigos. Eu é que coordeno tudo e invento as brincadeiras mais legais! Afinal, alguém tem que controlar os garotos, pra gente se divertir sem fazer muita arte! Não é fácil ser a única menina da turma!

image

Eu sou o Paco, o mais velho da turma. Pense num cara “brotherzão”, 👆tá falando com ele. Parece que dentro do meu abraço cabe o mundo. Meus amigos são como irmãos pra mim, sabem que podem contar comigo pro que der e vier! Assim… Mais ou menos.. 😊 É que sou mega desastrado🙈, tenho uma super boa vontade de ajudar. Mas acabo derrubando tudo por onde passo!😁 O bom é que com meu sorrisão, que levo estampado no rosto, alivio qualquer eventual bronca.

Por falar em sorrisão, está aí uma coisa que me orgulho são meus dentes! Podem perguntar pra Tia Val: de quem são os dentes mais brancos, brilhantes e cheirosos daquela turminha ali!? Hein ? Hein?!

E tento inspirar meus amigos a terem um sorriso igual ao meu. Sabiam que fui eu quem ensinou a Rosinha e o Leleco a passar o fio dental!?

image

Aqui é Leleco na área pessoal! Sou o amigão mais divertido dessa turma da Tia Val. Pelo menos é o que meus amigos me dizem: que sou muito engraçado. Só me resta acreditar neles 😂😂. Talvez seja porque sempre tenho uma piadinha na ponta da língua pra fazer a galera cair na gargalhada!

Adoro brincadeiras agitadas, correr, pular, gritar, e as vezes fazer uma baguncinha😁 é comigo mesmo!

A Rosinha acha que eu sou meio hiperativo. Mas sabe o que eu acho? Pra mim, é porque ela é muito nerd. Adoro as brincadeiras que ela inventa, só que coloco mais ação!😂 Quando você menos imagina estou pulando nos ombros de alguém com minhas pernas cumpridas!! Ou correndo pelo jardim! Ou saltando da cachoeira de frente do consultório! Alguns dizem que sou um furacão ambulante ( não entendo muito bem o que eles querem dizer com isso!).

Desde que coloquei aparelho o Paco fica no meu pé pra eu melhorar a escovação. A Tia Val já me explicou tudo, agora aprendi. Afinal, quero muito ter um sorrizão igual do Paco.

Muitas novidades!!

image6

Voltei!

Fiquei um tempinho ausente, mas o motivo foi justo e valeu a pena.

Estava preparando um cantinho novo para meus queridos pacientes, e ficou lindo, lindo!

Então, a Tia Val volta cheia de novidades:

*Casa nova (vou postar aqui algumas fotos de alguns ângulos só para aguçar a curiosidade) pois quero uma visita,

*Site novo : www.tiaval.com (o blog está lá dentro)

*Istagram novo: @tiavaldentista

*Personagens novos ( já …já faço um post com a história de vida de cada um)

image1

image2

image3

image4

image5

image1-3

Até que idade as criaças trocam dentes?

Tooth-Fairy-Gift-Ideas A maioria dos adultos não se lembra mais, até que idade trocou os dentes.

E  tem dúvidas se nós trocamos os dentes lá de trás (molares). Então vamos lá…

Em geral, o início da troca se dá por volta dos 6 anos e o término aos 12 anos. Mas isso pode variar de criança para criança, afinal de contas é um processo fisiológico e cada criança tem seu padrão de desenvolvimento.

Esta fase da troca dos dentes é dividida em 3 períodos:

Período transitório: entre os 6 e 7 anos quando as crianças trocam os dentes anteriores ( insicivos centrais e laterais superiores e inferiores) e ocorre o irrompimento do primeiro molar permanente. Lá atrás do íltimo dente, sem ter caído nenhum dente para que ele apareça.

Período intertransitório: é uma fase de latência, as trocas sofrem uma pausa e não ha muita modificação na arcada das crianças.

Segundo período transitório: normalmente dos 9 aos 12 anos, os molares e os caninos (presas) de leite serão substituídos pelos seus respectivos permanentes, ou seja, pré-molares e caninos, e os segundos molares permanentes erupcionam para completar a dentição permanente.

e nesta fase nascem os segundos molars permanetes.

Mas é importante lembrar que as crianças possuem 20 dentes de leite (decíduos) e os adultos, 32 dentes permanentes.   Dessa forma, 12 dentes não serão trocados. Explicando claramente, estes 12 elementos irão erupcionar sem precisar que nenhum dente caia para que eles erupcionem. Eles vão apontar lá no finalzinho da arcada, bem no fundinho. Eles irão surgir já na fase da dentição permanente. São eles: os quatro primeiros molares permanentes, por volta dos 6 anos de idade; os quatro segundos molares permanentes, por volta dos 12 anos; e, os quatro terceiros molares permanentes conhecidos como siso ( se nascer), por volta dos 18 anos.   Esta é uma fase de intenso crescimento da criança, na qual alguns desvios de normalidade podem se instalar. sendo papel do odontopediatra diagnosticar as alterações morfologicas e funcionais desta fase de desenvolvimento da dentiçao   .Muitas dúvidas podem surgir, principalmente quanto à época ideal de se colocar aparelho. Ter um profissional de confiança por perto é a certeza de um desenvolvimento tranquilo da dentição da crianças.

Flúor: vilão ou mocinho?

Há tempos venho escrevendo e reescrevendo este post sobre flúor, pois é sempre um tema polêmico, que deve ser muito bem esclarecido para que os pais não fiquem confusos.

As principais dúvidas são: A partir de que idade a criança pode usar fluor? Meu bebê pode aplicar fluor no dentista? E se a criança não souber cuspir? Meu filho engole a pasta, pode? Que pasta devo usar? Fluor faz mal? O que é fluorose? ….. E por aí vai!

Desta forma, pesquisei vários artigos, e destaquei abaixo algumas informações relevantes sobre o tema para facilitar o entendimento. Sei que ficou um pouco extenso, mas vale a leitura para os papais mais curiosos sobre o tema.

Nos últimos anos, diversas pesquisas desmistificaram vários medos sobre o flúor e elucidaram quando e como deve ser indicado o uso dos fluoretos. E assim, odontopediatras e pediatras, estamos revendo nosssas recomendações e individualizando as indicações.

  • A partir do momento em que os dentes irrompem, eles já podem receber os benefícios do contato com o flúor, mas cabe ao Odontopediatra recomendar e definir a melhor maneira de utilizá-lo (momento para iniciar, tipo, freqüência, etc.).
  • Os veículos mais comumente utilizados para a aplicaçãodos fluoretos nas superfícies dentais são os dentifrícios com flúor em casa, e em forma de gel, espuma ou verniz, estes três últimos utilizados apenas no consultório odontológico, pelo profissional.
  • A Associação Brasileira de Odontopediatria não recomenda a suplementação de fluoretos, ou seja, a ingestão de medicamentos que o contenham.
  • O uso do dentifrício fluoretado é recomendado como um procedimento preventivo básico para todas as crianças a partir do momento que se introduz a escova dental (com a erupção dos primeiros molares decíduos) na quantidade e freqüência determinada pelo profissional, de acordo com as necessidades individuais da criança.
  • Nos casos em que o dentifrício fluoretado é recomendado, orientações devem ser recebidas quanto à quantidade de pasta dental a ser colocada na escova, que não deve exceder ao tamanho de um grão de arroz cru, a freqüência de escovação e quem deverá fazer a limpeza. Procure as orientações com um (a) Odontopediatra.

quant pasta 2

Ilustração da quantidade de pasta recomendada de acordo com a idade. Uma pequena quantidade, do tamanho de um grão de arroz, deve ser usada da erupção até aos 3 anos. Depois de 3 anos de idade, uma quantidade do tamanho de uma ervilha.

  • Os pais devem colocar a pasta fluoretada na escova e não as crianças sozinhas, pois elas acabam exagerando.

pasta e criança

  • É recomendo o diagnóstico individualizado do risco e da atividade de cárie do paciente para determinar o uso de produtos que contêm fluoreto.

Risco e atividade de carie

Uma grande mudança trazida pela Odontologia de Promoção de Saúde foi a substituição do tratamento odontológico padronizado, em que todos os indivíduos recebiam a mesma atenção preventiva, por uma Odontologia baseada no diagnóstico individual do risco e da atividade de cárie

A avaliação do risco de cárie é a determinação da probabilidade da incidência da doença (ex: número de novas lesões incipientes ou cavitadas) durante certo período de tempo. As estratégias utilizadas para o controle da cárie dentária têm demonstrado a necessidade da realização das avaliações de risco e da atividade da doença

  • O uso do creme dental fluoretado deve ser recomendado como um procedimento preventivo básico. Esta recomendação é restrita e definida pelo profissional.Como a ingestão de pasta dental com flúor carrega um risco aumentado de fluorose, este risco deve ser pesado em relação ao benefício da prevenção da cárie.
  • Situações de alto risco de cárie (por exemplo, crianças com aparelhos ortodônticos aparelhos protéticos, com função salivar reduzida, que são incapazes de limpar corretamente os dentes, em risco dietético, com mães ou irmãos com cárie, ou com elevados níveis de bactérias cariogênicas) ou presença de atividade de cárie devem ser consideradas para que a terapia adicional de flúor seja prescrita para crianças.
  • Tratamentos profissionais freqüentes com flúor podem ser indicados quando o paciente se encontra com risco aumentado para a cárie ou quando não pode colaborar com a terapia caseira de fluoreto.
  • Em relação ao momento em que é realizada a escovação, sabe-se que a absorção do F solúvel no trato gastrointestinal é modulada pelo pH gástrico e que, quanto menor o pH, maior a absorção. Logo, a absorção do F solúvel ingerido pode ser reduzida se a escovação for realizada 15min após uma refeição.
  • A Associação Brasileira de Odontopediatria esclarece que “usando-se uma pequena quantidade de dentifrício de concentração de F convencional (1000-1100 ppm F), a quantidade de F ingerida é segura em termos de fluorose dental e o benefício anticárie é mantido”.

Referências:

  1. Noronha JC, Myaki SI, Paiva SM. Utilização dos Fluoretos In: Associação Brasileira de Odontopediatria. Manual de Referências para Procedimentos Clínicos em Odontopediatra, 2009. p. 95-100. http://www.abodontopediatria.org.br
  2. Departamento de Atenção Básica. Secretaria de Atenção Básica. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica n°17, 92p. Brasília. 2006
  3. American Academy of Pediatric Dentistry. Policy on use of a caries-risk assessment tool (CAT) for infants, children, and adolescents. Pediatr Dent 2003;25(suppl): 18-20.
  4. American Academy of Pediatric Dentistry. Clinical guideline on fluoride therapy. Pediatr Dent 2003; 25(suppl):67-68.

A primeira Crise Vital …. e o dentes

Febre sem outro motivo: é dente.
Choro excessivo: dente.
Começou a acordar toda hora: certamente são os dentes.
Não tira a mão da boca: dente.
Baba litros: dente.
Está com febre, diarreia, prisão de ventre, manha, insônia, birra: tudo é por causa do dente.
Coitado do dente!
Esses ossinhos superestimados são responsabilizados por muito mais do que podem realmente provocar.
Daniel Becker (pediatra)

Esses são os primeiros paragrafos de um texto super esclarecedor escrito pelo pediatra Daniel Becker, no seu site pediatria integral. Onde ele diz, que atribuir tudo aos dentes é um tremendo simplismo. Claro, quando os dentes surgem, podem causar incômodo, aumento da salivação, choro, irritabilidade, febrículas. Mas dificilmente são responsáveis por mais do que alguns distúrbios pasageiros e sem maior importância.
Segue o link para leitura completa do texto:
http://pediatriaintegral.com.br/seis-meses-primeira-crise-vital-e-os-dentes/

Meus agradecimentos ao Dr. Daniel Becker por ter autorizado o compartilhamento do seu texto aqui no blog.

Acabou de apontar o dente permanente e ele parece estar tão amarelo!

Qual é a causa de alguns dentes permanentes nascerem amarelos? O uso de antibióticos pode ser um dos fatores? Há como corrigir?

odontopediatria 4
Tento explicar para os pais que os dentes permanentes sempre são mais amarelos que os de leite. Isto se deve às características anatômicas do dente,e da quantidade de esmalte e dentina.
E é principalmente, na fase de dentição mista, que é quando a criança apresenta dentes de leite e permanentes ao mesmo tempo na boca, temos a tendência de vê-los mais amarelos, pois iremos compará-los com os de leite.
Além de que o dente permanente jovem, ainda sofrerá uma maturação pós eruptiva, que pode alterar um pouco a coloração do elemento um tempo após sua erupção.

O uso especifico do antibiótico tetraciclina, na fase de calcificação – que vai do quarto mês de vida intra-uterina até os 6 anos de idade da criança –, causa manchas de difícil tratamento nos dentes. Mas como esta é uma informação bem consolidada, os profissionais de saúde não prescrevem esta medicação nesta fase.
Saiba mais sobre manchamento dos dentes em: Antibióticos prejudicam dentes? Medicamentos mancham os dentes?

O que fazer quando um dente permanente começa a nascer sem que o dente de leite tenha caído?

janela

É bastante comum, e pode acontecer com seu filho na época do inicio da troca dos dentinhos. Os pais chegam preocupados relatando que, o dente não ficou mole sozinho. E o permanente começou a pontar por trás sem o de leite ter caído.

E agora? Tem que arrancar o de leite? Pode esperar? Mas o dente não vai nascer torto?

Como mostra o video erupção dentária, os dentes permanentes precisam reabsorver as raízes dos dentes de leite para assim erupcionar. Por isso é que os dentinhos ficam moles e caem, dando lugar aos seus sucessores.

Quando estão se formando dentro do osso, os dentes permanentes ficam bem próximos das raízes dos dentes de leite e usam a raiz deles como guia para o processo de erupção.
Mas podem ocorrer casos em que o permanente promova uma reabsorção parcial da raiz do dente decíduo.

 

dente por tras

Então, o que fazer?

O mais indicado, claro, é procurar a orientação do odontopediatra.

Se os dentes de leite estiverem com bastante mobilidade, podemos aguardar a esfoliação natural deles.

Por outro lado, se o dentes decíduo estiver com pouca mobilidade, prefiro acompanhar radiograficamente. E aí, se percebermos que ele terá dificuldade em esfoliar, então a extração no consultório está indicada.

Obs:nestes casos, é preciso tirar o dente de leite para que ele não sirva de obstáculo e desvie o permanente da posição. Isto acontece com muita freqüência com os incisivos centrais ou laterais inferiores.

Mas e os permanentes, vão ficar tortos ou fora do lugar?

Se houver espaço suficiente para este dente na arcada, o próprio movimento de erupção, e os movimentos da língua durante a fala e a mastigação, se encarregam de “empurrar” esses dentes para o lugar correto.
Agora quando não ha espaço, e observamos uma arcada bem estreita pode ocorrer apinhamento.

Converse com o odontopediatra do seu filho sobre suas dúvidas e faça os acompanhamentos preventivos.