Arquivo mensal: fevereiro 2014

Até a Peppa vai no dentista!

peppa

Quem tem filhos, sobrinhos, ou está sempre rodeado de crianças com certeza conhece a Peppa Pig!

A animação ‘Peppa Pig’ mostra o dia-a-dia da porquinha e sua família, formada pelo irmão caçula,  pai, mãe e avós. Como qualquer garotinha de seus 4/5 anos, Peppa vai à escola, recebe amiguinhos em casa e visita os avós nos fins de semana. O desenho é bem singelo, sem grandes efeitos, de traços simples, e retrata o cotidiano de uma família de porquinhos, sob a ótica dos filhos, Peppa e George.

E neste episódio abaixo, a Peppa visita o dentista. Para os baixinhos, não deixa de ser um incentivo mostrar que até a Peppa vai ao dentista e que tudo pode ser bem divertido!

Anúncios

Uma nova Perspectiva para as mães

supermae

Esse post vai para as queridas mamães que compartilham comigo os lindos sorrisos dos seus pequenos!!

Será que as mães se enxergam da mesma forma como os filhos as veem? Para descobrir isso, os produtores desse vídeo convidaram várias mães e pediram para que elas contassem o que achavam sobre elas mesmas no papel de mãe. E depois convidaram as mães para assistir o depoimento de seus filhos sobre elas.

Sempre incentivo as mamães com a questão da higiene oral, compartilhamos risadas e as vezes confesso que também puxo orelha!! Mas a tarefa de ser mãe não é fácil e por muitas vezes vejo as mães se sentindo um pouco inseguras nesta jornada.  Lá no consultório é assim:

_ Me sinto mal em fazer meu filho chorar toda vez que vai escovar os dentes!

Já outra mamãe :

_Sinto-me culpada por não ter escovado o dentes do meu filho, mesmo com ele chorando, porque aí ele não estaria com cárie.

Enfim, criança não vem com manual de instruções. O amor materno é tão grande, que tenho certeza que tudo que as mamães fazem aos seu filhos, é sempre com a intenção de acertar, dando o melhor de si! E se em algum momento tem que falar com mais firmeza e colocar regras, se sintam confiantes. Pois se os limites forem colocados com amor ,seu filho vai te amar ainda mais!

Quando devemos apresentar o copinho aos pequenos?

 Imagem

A resposta é o quanto antes, mesmo que não pareça muito prático.

Aos 6 meses de vida, a amamentação materna, até então exclusiva, deixará de ser. E nesta fase o bebê que só conhece o peito da mãe, será apresentado a mamadeira, copo, colher, novas texturas e sabores, enfim muitas novidades.

E quais as melhores escolhas?

O mais aconselhado é que o bebê passe direto do peito para o copo (sem canudo/ com canudo/ aberto/ com bico de transição). Evite apresentar a mamadeira logo (vamos deixa-la como uma carta debaixo da manga). E o ideal é que esta cartada não seja usada.

Porquê?

Como já explicado no artigo sobre sucção ,quanto menos métodos de sucção artificial apresentarmos a criança, menos alterações serão causadas na arcada e mais estímulos estaremos oferecendo.

Então não subestimem a capacidade do seu bebê em tomar no copo ,ele consegue! Tem que ter paciência.

 Imagem

O canudo e o bico de treinamento podem ajudar nesta transição.

Imagem

O canudo é um bom exercício para trabalhar a musculatura perioral ( escolha os canudos mais largos inicialmente)

ImagemImagem

O bico de treinamento, facilita para não derramar o liquido na criança e ao mesmo tempo ela não tem que sugar (que é o malefício da mamadeira) quando vira o copo o liquido já sai.

ImagemImagem

Este abaixo não tem bico. Mas não é totalmente aberto, a criança vai aprendendo o quanto virar para o liquido sair aos poucos, é bem funcional. Enfim, existem vários tipos de copo.

ImagemImagem

Algumas mães vão perguntar: E agora, meu filho já tem 2 anos, não sabia que poderia introduzir direto o copinho.

Calma!

Pensando em um desenvolvimento harmônico da arcada das crianças preconizamos a amamentaçao materna como sucção positivamente estimulatoria. E acabamos classificando os metodos atificiais de sucção como deleterious (chupeta/ mamadeira/ dedo).

Mas não sou uma especialista tão radical assim, existem crianças que realmente tem necessidade emocional de sugar. E as respeito.

Pois até os 3 anos ainda pode existir hábito de sucção na vida da criança, Na maioria dos casos as alterações  provocadas voltam ao normal, assim que o habito é removido.

O que deve-se evitar é que a criança permaneça com o habito depois dos 3 anos.  Então mamãe se isto está acontecendo na sua casa, vamos começar a trabalhar a remoção deste habito. A mamadeira muitas vezes vira um objeto de afeto, então sugiro que primeiramente troque o bico da mamadeira (continue mantendo o mesmo recipiente, troque só o bico para um bico de transicão que tem a mesma textura e cor do bico da mamadeira do seu filho) e aí a medida que ele vai se acostumando muda para o copo fechado, e depois para o copo aberto.

 Imagem

Alguns bebês se adaptam mais rápido que outros e isso não é problema algum. O ideal é sempre tentar introduzir num clima de alegria para o bebê se interessar. Cada um tem seu ritmo e isso deve ser respeitado. Existem pais que preferem ensinar seus filhos pequenos a usarem direto um copo normal e dispensam totalmente os copinhos de treinamento. Tem bebês que não aceitam estes copos de transição e vão direto para o copo comum. Também não há nenhum problema nisso.

 

O medo de dentista dos pais, pode passar para os filhos

Imagem 

Você sabia que quando os pais tem medo de dentista, a tensão e o medo são facilmente trasmitidos para a criança?

Foi o que comprovou o estudo publicado no International Journal of Paediatric Dentistry. Ccientistas pesquisaram 183 crianças de Madri com idades variando entre 7 e 12 anos, e também seus pais.

Os cientistas concluíram que os sentimentos dos pais a respeito de ir ao dentista têm um papel fundamental para determinar se o medo de dentista da mãe será transmitido para os seus filhos. 
“As crianças parecem prestar atenção às reações emocionais dos pais ao decidir se as situações no dentista são realmente estressantes”, diz a coautora do estudo, Professora America Lara-Sacido.

Desta forma os resultados apontam a necessidade dos dentistas reduzirem o medo dos pais, fornecendo-lhes informações precisas sobre os tratamentos odontológicos, técnicas simples de relaxamento ou abordando os pensamentos negativos para evitar a transmissão dos medos para os filhos.

“No que diz respeito à assistência na clínica odontológica, o trabalho com os pais é a chave”, diz a Prof. Lara-Sacido. “Eles devem parecer relaxados como forma de garantir diretamente que o filho também esteja relaxado. Pelo contágio emocional positivo na família, a atitude correta pode ser alcançada pela criança, de forma que ir ao dentista não seja um problema”, ela diz.