Arquivo mensal: abril 2013

Tratamento de canal em dente de leite?!

criança com duvida

Hein? Como assim? É um dente de leite e vai fazer canal?

A interrogação estampada no rosto dos pais quando aviso que o filho vai precisar de um tratamento de canal, é fato! A surpresa, certamente se deve a idéia de que dente de leite não tem raiz, e vai logo cair e ser trocado. Desta forma não faz sentido realizar um tratamento de canal em criança, ainda mais quando os adultos tem em mente que tratamento de canal é algo bem complexo e doloroso para submeter os pequenos.

ImagemEntão vamos esclarecer!!

Dente de leite tem raiz?

Sim! Como já comentei em posts anteriores, a anatomia do dente de leite é bem parecida com a do dente permanente. O dente de leite é formado por uma porção coronária (parte branca que enxergamos no sorriso e chamamos de coroa) e uma porção radicular ( que fica abaixo da gengiva, ou seja, a raiz do dente).

A camada externa deste dente chamamos de esmalte que é o tecido mais duro do corpo humano (isso mesmo!); logo abaixo do esmalte fica a dentina que é responsável pela cor do dente; e dentro a polpa – composta de nervo e vaso sanguíneo.

Imagem

Dependendo do dente podem haver de uma a quarto raizes – ex : incisivos (dentes anteriores tem uma raiz), os molares superiores ( tem 3 raizes)

O que gera a impressão de que o dente de leite (decíduo) não tem raiz, é porque quando ele amolece e cai, só resta a coroa mesmo.

O processo de exfoliação – a troca dos deciduos por dentes permanentes – envolve a reabsorção da raiz do dente de leite para que ele fique com mobilidade e o dente permanente erupcione naquele local.

E o que é canal do dente?

Internamente á raiz do dente, existe um conduto, onde fica alojada a polpa.  Que é popularmente chamado de canal. Mas o nome verdadeiro para o tratamento de canal é tratamento endodôntico – tratamento da parte interna dos dentes.

Quais os motivos que levam necessidade do tratamento de canal?

Uma inflamação nesta região da polpa dentaria.

Esta pode ser causada por :

–       Uma carie bem profunda, que levou bactérias a esta região (e só uma restauraçao não vai resolver)

–        Por um trauma (fratura dentária por causa de uma queda que expôs a polpa, ou necrose dentária – pelo rompimento da vascularização sanguinea no momento do trauma, e o dente sem ter nutrição e irrigação acaba necrosando, ficando sem vitalidade).

Um dos sinais é o aparecimento de uma fístula na região gengival próxima ao dente. Em alguns casos : edema facial e gingival. E se o processo inflamatório estiver agudo : dor.

E porque é necessário realizar o tratamento de canal no dente de leite ?

Fica dificil para os pais entenderem qual o real motivo de se tratar um dente que vai trocar!

Primeiramente porque esta infecção pode gerar dor, e ninguem quer ver o filho com dor de dente né!

Outro motivo é que em íntimo contato com esta porção radicular do dente de leite está o dente permanente, que iniciou sua formação ainda na gestação. Ao longo da infância, este vai se desenvolvendo. E um abcesso nesta região pode atrapalhar o ciclo normal de formação deste dente permanente.

E porque não extrai logo?

A importância dos dentes de leite  tem que ser ressaltada.

O tratamento de canal tem, como principal objetivo, preservar o dente de leite para que ele possa cair e ser substituído sim, mas na época certa.

São os dentinhos de leite que, digamos, “guardam os lugares” dos permanentes e avisam pra eles: “É por aqui, pode vir!”. Se o decíduo não estiver lá porque se resolveu arrancar antes da hora, o permanente, coitado, perdeu o lugar na fila! Principalmente se a criança perder este dente cedo e ele for demorar anos para erupcionar. Então, os pais devem estar cientes de que esta não é a melhor conduta e que um tratamento ortodôntico preventivo será necessário para manter o espaço do dente que foi perdido.

dente de leite precoce

Fig: Consequências da perda precoce do dente de leite

No que conciste o tratamento de canal?

O tratamento endodôntico (canal), nada mais é que a remoção desta polpa inflamada e infectada, limpeza deste conduto, e preenchimento com um material – que deixará o canal sem bacterias. Este material será reabsorvido naturalmente junto com a raiz no tempo certo da troca deste dente.

Os detalhes de como será realizado, devem ser esclarecidos pessoalmente pelo odontopediatra, o que facilita aos pais a vizualização em macromodelos de como se dá o procedimento. E de como ele sera conduzido de acordo com a idade e maturidade da criança.

E por incrível que pareça é comum as crianças acabarem adormecendo durante o tratamento.

Confie no dentista! Deixe que o odontopediatra tem um jeitinho todo especial de explicar o que vai acontecer para os pequenos. Pode ter a certeza de que, tanto quanto você, ele está pensando naquilo que é melhor para a criança!

Anúncios

Prevenindo os traumas dentários

 

criança no plastico bolha

Se tratando de criança, todo cuidado é pouco. Claro! Existem situações inesperadas e em questão de segundos o trauma acontece. Evitar os milhares de tombos nesta fase é tarefa dificil.

Andar de bicicleta, brincar, correr e praticar esportes devem ser sempre estimulados, até porque previnir trauma não é colocar a criança numa redoma de vidro. O desenvolvimento motor exige desafios e um tombinho aqui outro ali fazem parte da infância e aprimoram os reflexos.

É comum, os bebês que estão começando a dar os primeiros passos meio desequilibrados, cairem de boca no chão.  Afim de minimizar as situaçõess de risco nesta fase os pais devem evitar o uso de andadores para bebês. Ao deixar a criança brincando escolher locais onde o pisos amorteça a queda (tapetes e pisos de  borracha).

 

E é sempre válido que os pais conversem e expliquem para as criança (independente da idade) como elas podem brincar e se divertir, sem se machucar:

Usando escada para entrar e sair da piscina;

Não correndo de meias, pois fica escorregadio;

Não correr com objetos na boca (mamadeira, caneta, copo e brinquedos);

Usar sempre o cinto de segurança no carro;

Não correr descalço no chão molhado.

 

E para as crianças que praticam esportes de contato, pode-se lançar mão dos protetores bucais (individualizados e confeccionados pelo dentista).

 

protetores protetor bucal 2 protetor bucal

Depois que o susto passou… Precisa haver acompanhamento pós-traumatismo dentário?

 cara triste

Podem acontecer complicações dentarias decorrentes do incidente anos após o trauma. Desta forma, o acompanhamento com o odontopediatra através de exames clínicos e radiografias é importantíssimo. O protocolo de controle a ser seguido é: monitoramento pelo período de no mínimo 1 ano e 6 meses para os dentes de leite e de 5 anos para os dentes permanentes.

O dente de leite tem raiz. Nela, passam nervos e vasos sanguineos. O trauma pode acarretar consequências para esta região, como hematomas, inflamações ou até necrose.

O dente permanente inicia sua formação ainda na gestação e será formado muito próximo desta raiz do dente de leite. Assim, existe o risco de haver alguma sequela no dente permanente dependendo do tipo de trauma sofrido, principalmente se este dente em formação ainda não estiver bem mineralizado na fase que ocorrer o trauma.

 Quando ocorre trauma, o dente pode mudar de cor. Isso não é uma regra. E se por acaso ele escurecer, pode ser transitoriamente. E nem sempre quando ele escurece e permanece acinzentado, quer dizer que requer tratamento.

 Quando os pais forem ajudar no momento da escovação, devem ficar atentos em observar a região gengival próxima ao dente que sofreu trauma, se está avermelhada ou com algum edema.

 Não subestimar as  “batidinhas” nos dentes de leite, um pequeno sangramento ou trincas no esmalte merecem atenção!

 Caberá ao profissional avaliar se haverá indicação de algum tratamento ou apenas continuidade do controle periódico.

O que fazer se seu filho sofrer um traumatismo dentário

escalando estante

Basta um pequeno descuido e lá estão eles, subindo nas cadeiras pra olhar a janela, pulando no sofá, arrumando um jeito de escalar o armário… Em segundos, conseguem escapar do olhar vigilante dos adultos e aprontar alguma estrepolia que lhes põe em risco.

A consequência óbvia dessa característica do comportamento infantil é que elas se machucam apesar dos cuidados e do olhar vigilante dos adultos.  Muitas vezes, felizmente, tudo não passa de um susto.

Desta forma é importantissimos que os pais e os cuidadores saibam que atitude tomar no momento de um trauma bucal, afim de diminuir o dano ou até mesmo salvar o dente.

Quando a criança sofre uma queda ou leva uma bolada na boca podem ocorrer variadas lesões, tanto nos tecidos duros (dentes e osso) quanto nos lábios, língua e bochecha. E cada qual requer um tratamento e acompanhamento distinto.

O que fazer no momento do trauma?

Manter a calma pra conseguir ajudar a criança

Procure entrar em contato com o dentista dela imediatamente (uma  orientação do profissional mesmo que por telefone é super válida)

Procure estancar o sangramento com gaze, lenço ou um tecido limpo (para ver de onde está vindo o sangramento)

Coloque gelo (se nao conseguir ofereça sorvete ou picolé)

E se o dente ficou um pouco mole ou saiu da posição?

Um rx é importante para confirmar o diagnóstico, mas pode ter ocorrido alguma fratura radicular, ou o dente pode ter se deslocado. Neste caso precisa ser reposicionado e as vezes imobilizado o quanto antes, para que melhor seja o prognóstico.

Se ocorrer uma avulsão dental ( quando o dente sai totalmente com raiz e tudo) :

se for o dente permanente : ele deve ser reimplantado (recolocado no local) na mesma hora, caso não consiga, acondicionar o dente em soro fisiologico, leite ou saliva e levar o mais rápido possível para o dentista.

Se for o dente de leite: normalmente não indicamos reimplante pois o insucesso é grande. Nos dois casos o mais importante é o pronto atendimento odontológico.

E se o dente quebrou?

Se ocorreu a fratura de parte do dente, procure o fragmento, coloque no soro,leite ou saliva e leve ao dentista. Muitas vezes é possível realizar a colagem do fragmento e recuperar a estética do dentinho.

Se não achou o dente ou o pedaço dele, ele pode ter intruído (entrado total ou parciamente no osso alveolar). Deve ser realizado um rx para que o dentista determine o tratamento.

Atenção!! As maiores complicações devido a traumas, tanto nos dentes de leite como nos dentes permanentes, acontecem por falta de atendimento imediato e controle realizados no consultório pelo profissional.